NEWS

Revisão Íntima - sabático de mídias sociais

Em nove meses uma vida é gerada... na verdade são doze meses, três de conexão e acordos até a descida e acoplamento no ventre da mãe, porém nove são necessários para a construção dessa obra maravilhosa, divina e perfeita que chamamos de "ser humano".

Era setembro de 2018 e eu não estava bem, pros que me conhecem de pertinho sabem a relação que eu tenho com o mundo espiritual e que muitas vezes estou mais "pra lá do que pra cá", eu trabalhei tanto nesse "outro mundo" que minha saúde quase foi pro brejo (alô eleições, João de Deus e sagrado feminino) e decidi abandonar o Instagram e demais mídias sociais pq eu não tava dando conta de tanta desinformação!

Não me coloquei um prazo pra voltar e das vezes que precisei acessar pra pegar uma informação de alguém que eu só lembrava pelo insta, eu imediatamente desinstalava o app após usar, criei quase uma fobia. Quando um amigo incrível me reencontrou pessoalmente, me explicou o que sentia pelo meu trabalho e me convenceu a voltar, só que eu tinha dois perfis: o de desenho e esse dos bordados... deletei permanentemente o @demikowski e decidi manter o @denisemikowski, com menos seguidores e uma conexão mais direta com amigos e aqueles que estão realmente interessados nesse trabalho de tapeçaria bordada que desenvolvo há tanto tempo e que é tão eu!

2019 até agora está sendo pra curar esse ser humano que eu habito, e acho que estou me saindo bem! Não tomei uma medicação da indústria farmacêutica, YES! Tb conheci o mundo da medicina integrativa, seus habitantes e substâncias verdadeiramente mágicas! Posso compartilhar com vocês se se interessarem, muitas vezes demoramos pra acessar determinado conhecimento pq o que a máquina quer é que ninguém acesse mesmo, mas super-humanos dão um jeitinho e burlamos tudo isso! Sem a chatisse de medicina alternativa nova-era, é na lata! Era de aquário não é pra ficar embaçando igual a era de peixes não! Já bora tomar B12 e fazer conexões mais rápidas que seu 5G, a única máquina que pode mandar na gente é aquela que temos no meio do nosso peito.

Em toda minha vida ouvi que eu "curava pessoas com meu trabalho" e percebi que botava a mão em todo mundo menos em mim... Abandonei também todas as terapias que eu já havia feito, as medicinas que consagrei e os grupos que tentei fazer parte, ficou só eu e eu mesma. Dei as mãos pra essa pessoa e voltamos pra nossa origem, impressionante como o lado de lá é mais justo, tudo tem uma ordem e uma razão pra ser... eu não queria mais voltar, confesso!


Não precisei ir pra chapada de qualquer coisa ou fugir da babilônia, quero ver quem consegue se calar e se conhecer aqui nessa selva, foi mais um desafio pelo qual precisei passar e até que foi divertido, imagina virar dias seguidos dormindo só uma ou duas horas e ver que o dia já nasceu (de novo!) e você não sabe de chora, se ri, se pula, se deita, se corre... Ecstatic dance da vida real!

Acabei cutucando muita gente nesse meio tempo devido às descobertas que fiz e prometo cutucar ainda mais com os trabalhos que irei produzir, artistas estão aqui pra isso! Além de curar, vamos cutucar! Flores bem feitas e bordados lindos e bem acabados continuarão existindo, eu vim desse lugar, mas quero mostrar pra vocês como que é esse caminho do meio, todas as portas que eu abri nos últimos nove meses e os buracos onde me enfiei, os pedaços do meu coração que ficaram perdidos por aí e que vamos juntos resgatá-los, pois meu trabalho não existe se não houver quem o aprecie, quem o imite e quem o deseje.

Estou voltando do meu ponto de origem, ainda zonza, e assim como um nenê que vem carregado de informações e sem as limitações desse planeta, tô eu com minha mala (ou container) pensando "quê que eu faço primeiro???"

Aquela minha gigante "gratidão" aos meus clientes e amigos que pacientemente esperaram eu voltar dessa viagem, não me julgaram e me recebem de braços abertos e sorriso largo!

SAT NAM!